O AIACOM foi fundado em 1992 e é integralmente mantido pelos Freis Agostinianos através da SIC – Sociedade Inteligência e Coração. A SIC é uma associação sem fins lucrativos, de caráter beneficente, educativo, cultural, de assistência social e de promoção humana, é inscrita no CNPJ sob o n.º 17.222.969/0001-00, com sede em Belo Horizonte – MG. Sua missão é promover a vida por meio da fraternidade, da educação e da justiça social; sua visão é ser referência em educação de excelência, humana, inovadora e sustentável, comprometida com a transformação social. Sua base são os seus valores: Solidariedade, amizade, justiça, subsidiariedade, corresponsabilidade e sustentabilidade. Além da unidade no Rio de Janeiro, mantém também inúmeras outras obras de assistência social desenvolvidas pelos padres agostinianos nos Estados de Minas Gerais e São Paulo. Desenvolve suas atividades estatutárias mantendo estabelecimentos e/ou “obras”, todas de caráter eminentemente social e filantrópico, todas as suas receitas e/ou ingressos de quaisquer natureza, são revertidos em sua TOTALIDADE para a consecução de seus objetivos, aos quais se dedica há várias décadas.

A SIC – AIACOM foi idealizada originalmente enquanto um Projeto Social na perspectiva de desenvolver e apoiar ações voltadas para o atendimento de Crianças, Adolescentes e Jovens de classes populares, que em consonância com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA – lei 8069/90), vai buscar a garantia de direitos fundamentais frequentemente violados, contribuir na melhoria da qualidade de vida e na reversão do quadro de exclusão social.

Ao longo dos anos, foi consolidando-se enquanto uma referência junto às comunidades do bairro do Engenho Novo e adjacências, particularmente aquelas menos favorecidas, por conta do trabalho socioeducativo desenvolvido junto às crianças, adolescentes e adultos dessas comunidades.

A partir de 2010, ancorado na experiência acumulada desde sua fundação e na história dos Colégios Agostinianos no Brasil, o AIACOM dá início a uma significativa mudança no seu perfil institucional e, em 2011, passa a constituir-se legalmente enquanto uma escola formal, com a implantação da unidade SIC- Colégio AIACOM, mantendo os mesmos princípios filosóficos de trabalho e passando a oferecer uma educação de qualidade, inteiramente gratuita, à população local, apoiado por material didático e escolar, uniformes e alimentação.

Os referenciais que norteiam o projeto educativo do colégio – que atua nos segmentos da Educação Infantil, do Ensino Fundamental em 1° segmento e da Educação de Jovens e Adultos com Ensino Fundamental e Médio têm por base reflexões do fazer pedagógico, à luz da filosofia agostiniana, da realidade que estamos inseridos, das teorias pedagógicas sócio interacionistas e dos documentos normativos que regem a educação no Rio de Janeiro e no Brasil.

Nossa história, que completou mais de duas décadas, teve como pano de fundo a inquietude, o sonho e a utopia de tornar encantada a infância de meninos e meninas de todas as etnias e idades, inundando de cores, alegrias, humanidades e afetos.

Em duas décadas de trajetória trilhamos vários caminhos, ampliando os territórios de educação na busca de germinar novos frutos e sementes, onde então a educação formal e regular ganhou centralidade, desafiando-nos a encontrar um fazer pedagógico singular na dialogicidade e na interface com os elementos simbólicos de nosso percurso.

Nesse complexo devir, aprendemos muito mais do que ensinamos. Saboreamos o gosto cotidiano das pequenas e das grandes vitórias, que, entre conquistas, desafios complexidades e dilemas, fizeram brotar muitas histórias, experiências e um legado de subjetividades e trocas simbólicas que fazem parte da história de nossa História;

Em duas décadas de trajetória consolidamos o trabalho como um importante espaço de referência e credibilidade junto às comunidades do bairro do Engenho Novo;Em duas décadas de trajetória, percebemos quanto o trabalho com arte, educação e cultura revelou-se como uma experiência fundamental no processo de nos constituirmos verdadeiramente humanos e capazes de reencontrar nossa ancestralidade, redesenhando-a a partir de paradigmas não mais silenciados;

Esperamos que os atuais frutos a serem brotados dessa nossa frondosa árvore, de raízes tão profundas, possam continuar fertilizados de esperanças, mantendo acesa a chama da inquietude e da utopia que nos move a acreditar na força transformadora da Educação em prol da construção de um mundo melhor, mais justo e fraterno.