Os alunos do núcleo de Multimídia visitou o Percurso da Pequena África, no Cais do Porto, zona portuária da cidade do Rio de Janeiro. A Pequena África foi o lugar onde eles puderam conhecer um pouco mais da história africana e a sua relação com o Brasil.

Eles conheceram um pouco do percurso da Pequena África, no Cais do Porto, na cidade do Rio de Janeiro. A região recebeu esse nome por concentrar uma intensa população negra, urbana, a ponto de os viajantes da época que aportassem no Rio de Janeiro desavisados, acreditassem que havia aportado em um porto africano.

O circuito realizado pelos jovens, compreendeu o Monumento a Zumbi dos Palmares, na Praça Onze, o Cais do Valongo, A Pedra do Sal (reduto do samba e do choro carioca), A Praça do Depósito, o Jardim Suspenso do Valongo, a Ladeira do Livramento (onde nasceu Machado de Assis), a estátua de Mercedes Baptista (primeira bailarina negra do Teatro Municipal) e a Igreja de São Francisco da Prainha.

O Cais do Valongo e a sua redescoberta com as obras do Porto Maravilha, são o testemunho histórico das atrocidades cometidas pelo sistema escravagista, onde foi perpetrado um dos maiores crimes contra a humanidade e contra populações inteiras de africanos condenados a um deslocamento forçado para servir de mão de obra em terras além mar. Reconhecido como Patrimônio da Humanidade, este pedaço do passado nos ajuda a compreender o período e a firmar um compromisso com as gerações futuras. Uma experiência que cabe a reflexão sobre o tamanho da dívida histórica que as nações europeias e a sociedade brasileira têm com as populações negras residentes em nosso país.

Vejam abaixo as fotos deste passeio pela africanidade:

IMG_3030 IMG_3034 IMG_3037 IMG_3039 IMG_3059 IMG_3065 IMG_3067 IMG_3074 IMG_3086 IMG_3091 IMG_3101

20181101_094117 20181101_094132 20181101_094359 20181101_094409

Passeio à “Pequena África”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *